sexta-feira, 18 de março de 2011

Há alguns meses baixei o cd da Regina Spektor. Deveras melancólico, admito. Porém, mesmo para quem não curte uma fossa ao piano o disco "Far" reserva boas surpresas. Uma delas é a alegre e satírica "folding chair". Uma graça.

terça-feira, 15 de março de 2011

A moça PJ Harvey sempre teve esse puxãozinho para o psicodélico e para o folk ou me enganei? Ouvia muito falar sobre, mas nunca me interessei suficientemente. Dia desses trocando de canais ouvi um pedaço da nova música dela e me apaixonei. Mas uma vez excuso-me por não ter encontrado o vídeo oficial.



Não é nada indicado para quem tem um blog incipiente passar uma porção de dias sem postar. Apesar de ter pensado todo santo em dia em alguma coisa que eu poderia ter postado o cansaço não permitiu. Bom, um amigo comentou sobre o disco novo R.E.M. e eu precisei xeretar. Ok. Eu sei que o disco chama-se "Collapse Into Now" e a música que anda circulando mais recentemente é "Mine Smell Like Honey". Para quem curte Eddie Veder, vale a pena conferir a participação dele em uma das faixa (eu não curto). De opinião própria, pra mim o que conta mesmo é "Discoverer". Tá certo que não é nenhuma obra prima, mas da para cantarolar enquanto estiver indo pra faculdade...




P.S.: Eu não consegui encontrar o vídeo, muito provavelmente por não haver ainda.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Shes lost control

Joy Division: tudo que é dito sobre os clássicos é uma heresia. De qualquer forma, devo dizer que a banda do "finado" Ian Curtis, assim como eu, adorava um Kraftwerk, um Sex Pistols, nas horas vagas. Tendo como referências clássicos como estes só podia dar no que deu. Atualmente, os integrantes que restaram formam o New Order, pendendo mais para o modernoso, do que para o bom e sujo rock de Ian.


Quarta-feira de cinzas

O nada carnavalesco Mayer Hawthorne foi apresentado à maioria de nós no Summer Soul Festival.O cara é cantor, produtor, compositor, DJ, rapper e multi-instrumentista, e é com esse currículo que ele nos delicia com batidas dançantes e voz de cantor dos anos 50. O figurino também não fica atrás: Mayer é geralmente adepto das "roupas de velhinho". Somando- se essas qualidades, temos videoclipes muito bem feitos e um álbum (A Strange Arrangement - 2009) para ouvir do começo ao fim, sem pular nenhuma faixa.



Vale a pena conferir outros trabalhos dele: http://www.myspace.com/mayerhawthorne

terça-feira, 8 de março de 2011

Epifanias

Não sei se é uma espécie de memória seletiva, mas tenho ouvido demais falar sobre pessoas que tiveram uma epifania e sua vida mudou. Tá aí uma coisa que eu nunca tive. Pois bem, hoje estou para poucas palavras, mas digamos que se houvesse algo epifânico na minha vida podia bem ter trilha sonora do Radiohead. Pela música "Creep", um verdadeiro hino dos adolescentes deslocados dá bem pra imaginar que Tom Yorke deve ter sido vítima de bullying. Nada mais normal que o novo vídeo da banda, "Lotus Flower" tenha se tornado um viral na internet, incluindo várias versões bem mais estranhas que o vocalista. Eu, como adorei e adoro sempre Radiohead, sinto-me na obrigação de postar os dois vídeos dos quais falei. Bon appetit!



.

P.S.: Tom Yorke, na balada, com essa dancinha, muito me agrada...

Novidades relativas

Tudo bem que o assunto aqui tratado é bem atemporal: música. Mas eu preciso dar o meu pitaco também sobre o que está rolando na internet. Há algumas semanas tenho ouvido falar do Two Door Cinema Club. Apesar de ser uma banda relativamente novo na cena indie rock, achei o som pouco inovador. Umas pegadinhas de baixo bem leves, melodias medianamente dançantes, que fazem lembrar jovens apáticos balançando a cabeça na balada. Eu curto. As inspirações dos 3 meninos irlandeses são Block Party e Daft Punk (?) Quem conhece o Daft Punk, deve entender bem a interrogação, e quem não conhece, vale a pena conferir, é um ícone.
Quanto a mim fico aqui batendo cabeça ao som dos vocais de Alex Trimble (vocalista), que me faz lembrar o queridinho Julian Casablanca.


video

domingo, 6 de março de 2011

Presents

Direto ao ponto. Não, o primeiro post não vai tratar da intenções desse blog, mas sim do que eu estou ouvindo hoje. Nada de muito novo, porque enquanto algumas celebrities estão abortando aberrações, como no clipe de "Born This Way", outras mocinhas camponesas estão dedilhando belas melodias ao piano como Regina Spektor, a mocinha em questão do post de hoje. Sem mais delongas, o vídeo de "Blue Lips" ao vivo, explica mais do que bem o que eu dizer.

video

Não sei como andam os esquemas de trilha sonora do meu queridinho Tim Burton, mas se eu fosse alguém sugeriria Spektor a ela. Afinal ela tem umas músicas bem sombrias, no bom sentido claro, o que se encaixa muito bem na estética de Burton. Enfim.